16 de junho de 2011

Weber não explica Viriato

Viriato foi assassinado à traição, no ano de 139 a.C., por membros da sua tribo, a mando dos romanos. Quando os referidos mercenários foram pedir o pagamento pelo seu crime, consta que ouviram um merecido «Roma não paga a traidores»...

Virato Soromenho Marques não é pastor, nem chefe, nem guerreiro. É Professor de Filosofia, pessoa de mérito reconhecido, é uma pessoa que tem, entre muitos outros, contribuído para o engrandecimento da universitas lusitana. É justamente pelo seu mérito e responsabilidade académica que é lamentável o papel a que se presta quando usa argumentos superficiais mascarados de elevados contra Francisco Louçã e o Bloco:

1 - Começa por dar seguimento ao mito inqualificável da confusão entre o Bloco e o PRD. O Carlos Santos já respondeu, há tempos, a esse mito - recomendo a leitura desse texto sobre o Bloco de Esquerda e o PRD.

2 - Weberianamente, diz Viriato que FL incorreu no erro político de estar preso a uma "ética da convicção", quando se devia ter movido pela "ética da responsabilidade", devia ser pragmático e render-se à ÚNICA solução, render-se ao INEVITÁVEL resgate pedido à Troika. O argumento de que a responsabilidade obrigava a rendição a essa solução-única nada tem do "pluralismo" de que Viriato fala no último parágrafo.

3 - Viriato pode discordar das renegociação da dívida proposta pelo Bloco, mas acusar de irresponsabilidade e irrealismo sem o demonstrar é apenas um argumento autoritário, nada esclarecido e sem um pingo de abertura para outras leituras e propostas que se fundamentam na experiência da realidade.

Talvez Weber não subscreva a renegociação, mas muitos concidadãos do
Sócrates que sabia que nada sabia CONHECEM empiricamente o que é um ano de FMI & Companhia, vêem que as suas vidas estão piores e que já vão tarde e em péssimas condições RENEGOCIAR A DÍVIDA. E parece que não são só os gregos, há pr' aí uns tais de prémios Nobel que também são partidários da renegociação... A Mariana Mortágua pode falar-vos melhor dessa solução Nobel.

Penso que Weber não explica Viriato, mas estou aberto a outras opiniões.

1 comentário:

  1. Agradecia a divulgação da manifestação que acontece amanhã contra as areias petrolíferas:

    No próximo dia 18 de Junho vai ter lugar o DIA INTERNACIONAL “STOP THE TAR SANDS” (PAREM AS AREIAS PETROLÍFERAS), que se irá traduzir em manifestações a nível global, com o objectivo de detêr a exploração destas areias de petróleo (com a sua maior expressão em Alberta, no Canadá), por parte das grandes companhias petrolíferas.

    Assim, no dia 18 de Junho, em Lisboa, irá realizar-se um protesto que terá início às 17 horas, frente à Embaixada do Canadá (Avenida da Liberdade, nº 196-200) , seguida de uma caminhada até ao largo Camões (Baixa-Chiado).

    Este meu email vem assim apelar à vossa presença e participação neste protesto, assim como à divulgação desta questão J

    Apoiar as manifestações globais contra a exploração destas areias petrolíferas é, não só uma mostra de solidariedade para com as comunidades indígenas canadianas que assistem à destruição dos seus territórios ancestrais e violação dos seus direitos, mas também uma demonstração contra os terríveis efeitos a nível ecológico que este tipo de exploração provoca (pela devastação de um ecossitema irrecuperável, pelas enormes quantidades de água e energia gastas na sua extracção e producção, assim como pelos gases com efeito de estufa libertados para a atmosfera) mas sobretudo contra os graves problemas causados pela indústria petrolífera duma forma geral.

    TRAGAM BANDEIRAS, CARTAZES, FAIXAS… O QUE QUISEREM! MAS SOBRETUDO TRAGAM A FORÇA DA VOSSA VOZ INDIGNADA CONTRA AS BARBARIDADES QUE ESTE SISTEMA CAPITALISTA PERPETUA, PARA QUE TOD@S EM CONJUNTO APELEMOS A UM CONSUMO CONSCIENTE QUE NÃO DESTRUA O PLANETA OU ASSASSINE AS ESPÉCIES ANIMAIS E HUMANAS QUE NELE HABITAM!

    Site internacional: http://paremastarsands.yolasite.com/

    ResponderEliminar