26 de janeiro de 2011

E agora?

Uma plataforma de governo saída destas presidenciais juntaria a tese e a sua antítese, provocando uma síntese pulverizadora para a esquerda. Recuando a luta social e a mobilização anti-liberal em mais de uma década. Todas as pontes, esperanças e alternativas, que se têm cimentado ao longo destes anos, cairiam como um baralho de cartas.

O resto pode ser lido aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário